22 dezembro 2015

Um fim de semana preenchido!

Há três anos por esta altura, estava eu grávida de 5 meses e preparava-me para passar o Natal mais expectante de todos, um verdadeiro Natal de esperanças!


Se por um lado sentia-me bem, bonita e feliz por estar sempre acompanhada (e aqui já sentia bem a companhia das minhas princesas, pois tinha sentido os primeiros pontapés no início daquele mês), por outro sabia também que aquele seria o último Natal calmo e sossegado... O dia que ia mudar a minha vida por completo aproximava-se, e apesar de ter uma data prevista não sabia ao certo quando seria; a incerteza de não saber como seria a fase final da gravidez, a possibilidade de um parto prematuro, a chegada de duas bebés de uma só vez, o "nascimento" desta mãe de primeira viagem sem o mínimo contacto com crianças... Muitas expectativas, receios e dúvidas, mas muita alegria e esperança no futuro! Sabia que o Natal (bem como tudo o resto) não mais seria igual, mas sabia também que o burburinho (ou gritaria, melhor dizendo) e a euforia dos Natais seguintes seria de alegria, seria um desassossego bom e que tudo faria mais sentido. Era o último Natal sem filhos mas de coração cheio por ter já uma barriguinha a anunciar que o próximo seria o primeiro de uma nova fase das nossas vidas - o primeiro Natal das nossas duas filhotas!

Três anos depois...


...

No primeiro Natal das princesas, elas tinham 9 meses, por isso nem perceberam bem o que se passava - abrimos presentes com elas, comeram a sopinha e o bacalhau com as batatinhas e foram para a cama. Nesse ano gostaram de ver os enfeites de Natal, as luzes, e da novidade de terem alguns brinquedos novos, mas na verdade, a alegria maior foi nossa por tê-las connosco! O ano passado já foi diferente, elas já ficaram a pé até um pouco mais tarde para abrirem os presentes e a cada prenda que viam era uma alegria, quer fosse roupa ou brinquedos, tudo era novidade, tudo era uma alegria! Mas este ano é que elas entendem melhor o que se passa, já fazem perguntas sobre as prendas que estão debaixo da árvore e mostram-se curiosas e até ansiosas com essas mesmas prendas! Agora sim, as miúdas vibram com o Natal! Quiseram ajudar a enfeitar a árvore ("mãe, eu vou colocar as bolas" - eu ponho as bolas, elas colocam; com pouco menos de 3 anos já falam português melhor do que eu, ah ah ah!!), reconhecem as figuras do presépio, sabem de cor a canção de Natal do ano passado da Rádio Comercial (e a B, dançarina como é, abana-se enquanto canta e diz para eu dançar também!), conhecem a história do Natal, de uma forma simples claro, sabem que no Natal comemoramos o nascimento do Menino Jesus mas que também há o Pai Natal... Por falar em Pai Natal, este ano foi a primeira vez que elas o viram e ainda pensámos que elas se assustassem com a personagem como acontece com muitas crianças, mas não, correu muito bem das duas vezes que já o viram e não acharam estranho verem-no em sítios diferentes! Pelo sim pelo não, eu disse que ele ia de Óbidos para o centro comercial, já que o fomos visitar à caravana dele à Vila Natal, a história não me pareceu descabida de todo ;) Quanto aos presentes... este ano elas já têm plena noção do que significam aqueles embrulhos debaixo da árvore... Não mexem em nada, por incrível que pareça, no entanto já tentaram demover-me da "ideia" de esperar pela noite de 24 de dezembro para abrir as prendas! Com tantas prendas aqui à mão e temos de esperar, a mãe tem cada ideia devem elas pensar! Enquanto a H de vez em quando põe uma cara triste e diz, em tom bem dramático, "não tenho brinquedos nenhuns" na esperança que eu me comova e a deixe abrir qualquer coisa, a B opta por ser mais prática - "mãe, para quem são essas prendas?" perguntou ela um dia desta semana quando me viu pôr uns embrulhos na árvore, "esta é para ti e aquela é para a mana" respondi eu e ela, sentada no sofá, disse prontamente "essa que é para mim podes deixar aqui ao meu lado, não ponhas na árvore!". A sério, estas miúdas são demais! E é fantástico ver a evolução das crianças, os seus raciocínios. Elas são o melhor do mundo e o Natal é mesmo delas, sem dúvida!


Os últimos dias têm sido muito atarefados cá por casa, com a azáfama natural da época e o acréscimo de trabalho que o pai tem nesta altura do ano, por isso mesmo aproveitamos o fim de semana para um programa diferente com as miúdas. A avó já as tinha levado a ver a peça de teatro da festa de Natal da escola que fica perto da casa dela e nós continuamos com o programa natalício: no sábado, estivemos na Vila Natal de Óbidos durante a tarde e à noite fomos à Biblioteca Municipal para ouvirmos três contos de Natal; no domingo fomos à audição de Natal da escola de música onde o pai dá aulas. Para mim, o ponto alto de as ter levado à audição foi ver o orgulho delas no pai, a quem já têm ouvido tocar, mas ali não era o caso porque ele não estava a tocar mas sim a dirigir os meninos na orquestra: "o pai toca muito bem" disse a H, "sim, mas ele não estava a tocar" respondeu a avó Lina, "o pai toca muito bem!" resposta em tom autoritário - se a miúda diz que ele toca bem, que ninguém a contrarie! Assim se passou este fim de semana à beira do Natal... e ainda nos falta terminar a distribuição dos presentes pela família!


Sigam o E assim sou (mais) feliz! no Facebook e no Bloglovin'

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada por visitar o blog! Deixe um comentário, é importante para mim saber a sua opinião :) :)