30 setembro 2014

Dicas para futuras mamãs de gémeos


 

Hoje partilho convosco dicas para facilitar a vida às futuras mamãs de gémeos e respetivas famílias. Na verdade, algumas também podem ser úteis para mães de bebés "únicos", mas por esta ser a experiência que vivo diariamente, é em especial aos casos de gémeos que me dirijo. São coisas das quais me fui lembrando e fui seguindo para tentar gerir melhor o tempo que temos, desanuviar e, principalmente, tentar poupar em algumas despesas.

Devem haver muitas mais ideias interessantes e que serão bem úteis, estas são apenas as que me ocorreram e que tenho posto em prática ao longo dos últimos tempos. Se aí desse lado houverem mais sugestões, partilhem-nas por mail para que eu possa acrescentar a esta pequena lista ou comentem mesmo aqui no post. As futuras mães agradecerão de certeza!

Sim, que eu sei o que é ouvir "Parabéns, vai ter gémeos!" e ficar a pensar "e agora...???", a tentar imaginar como vai ser... Espero que vos ajude!

  • Abrir listas de nascimento: algumas lojas de artigos para bebé e criança disponibilizam este serviço que, à semelhança das listas de casamento, servem para identificar roupinhas, equipamentos e acessórios que vos interessem para que possam ser comprados e oferecidos por familiares e amigos; além disso, do valor total de compras à data do fecho da lista, uma percentagem reverte em crédito que poderá ser usado nos primeiros meses de vida dos bebés (eu gastei esse valor em sapatos quando as minhas filhotas começaram a andar). Mas tenham atenção ao valor mínimo a atingir para alcançar esta meta - se comprarem um carrinho de passeio e cadeirinhas de segurança novos, à partida, alcançam o valor mínimo; com os todos os outros itens que comprarem na loja para os vossos pequenos, já devem ficar com um valor razoável para gastar mais tarde :)

  • Comprar artigos usados: é uma opção para quem não tenha disponibilidade financeira para comprar todo o enxoval novo. Se bem que, agora, já tenho noção de que há coisas que não são usadas tempo suficiente para compensar o investimento... é claro que todas queremos o melhor para os nossos filhos, mas nem sempre o "caro" tem de ser necessariamente o "melhor". Neste ponto há de certeza opiniões muito contraditórias, mas no meu caso dei por mim a escolher não comprar este ou aquele artigo que achava tão giro porque pensava "será mesmo necessário? são duas bebés, tenho tantas outras coisas para comprar e que não posso pôr de parte..." e na maioria das vezes, percebi depois que fiz bem não comprar, não eram bens essenciais... Claro que naquela altura ficamos com pena, mas há que fazer uma escolha consciente e, no fim de contas, chego à conclusão que se tivesse tido só um filho teria gasto muito mais dinheiro em coisas que não eram assim tão importantes!

  • Ainda em relação ao tópico anterior, sugiro que visitem uma loja Kid to Kid (no site deles podem ver a localização da loja mais perto de vocês), onde podem encontrar artigos usados, em boas condições e com preços acessíveis. Além desta loja, poderão ver aqueles sites de artigos usados, que são conhecidos por toda a gente e por isso não preciso indicar nomes...

  • Pedir coisas emprestadas: há sempre um familiar ou amigo que pode emprestar uma ou outra coisa, daquelas que se usam por relativamente pouco tempo e que ficam praticamente novas arrumadas num sótão ou arrecadação. O que vos emprestarem será uma boa ajuda para tudo o resto que tiverem mesmo de comprar e para alguns miminhos que poderiam ter de ficar de parte se tivessem de comprar tudo!

  • Criar registos em sites: registem-se em sites de marcas de fraldas, papas, produtos de higiene, etc. para aproveitarem todas as vantagens que as marcas possam oferecer (cupões de desconto, amostras de produtos, ofertas, campanhas e promoções, passatempos...). Encontrarão também alguns fóruns relacionados com a gravidez / maternidade em geral e outros tópicos em particular (infertilidade por exemplo) em que poderão falar com outras mães, ler as experiências delas e tirar dúvidas.

  • Organizar um Chá de Bebé: aconselho vivamente a organizarem uma festinha destas! É um conceito ainda pouco usual por cá, mas acreditem que vale a pena. Deve ser feita mais perto do final da gravidez, mas sugiro que não deixem para muito tarde porque, quando se fala de gémeos, nunca se sabe quando será o final... Ah! E claro, peçam ajuda a alguém para tratar da festa. No meu caso, o Chá de Bebé foi num domingo e passados catorze dias nasceram as minhas meninas, que deveriam nascer só um mês depois... Já estava em casa há um mês e aquela tarde, diferente e muito divertida, na companhia de pessoas amigas, fez-me muito bem! Pensem que, após a chegada dos vossos filhotes, durante algum tempo não terão muitas hipóteses para passar um bom bocado com amigos, a conversar, sem pensarem que está na hora do leite, da muda das fraldas e por aí fora, por isso aproveitem. Esta também é uma boa oportunidade para fazerem uma lista de itens que ainda faltem no enxoval dos bebés para vos serem oferecidos na festa. Eu optei por pedir produtos de higiene para as bebés e, a título de exemplo, no primeiro mês de vida delas não tive de comprar fraldas para a B (a H usava fraldas para prematuros, só vendidas em farmácias).

  • Apontar as horas a que os bebés comem: pode parecer estranho, mas acreditem que com as horas mal dormidas, o cansaço acumulado e dois bebés para amamentar todos os auxiliares de memória serão uma preciosa ajuda! Na primeira noite que a H passou comigo e com a B no hospital depois de sair da Unidade de Neonatologia, eu lembrei-me que talvez fosse melhor apontar tudo, mas mesmo tudo (horas, de que lado tinham mamado, se tinham xixi e cocó nas fraldas, etc.). Pensei nas perguntas que as enfermeiras me faziam todas as vezes que iam aos quartos ver as mães e os bebés e fiz um quadro com os nomes das princesas e campos a preencher com as informações, tudo isto num lenço de papel... Sim, podem rir, mas na altura era o que tinha à mão... Sempre que amamentava as meninas, apontava tudo e na manhã seguinte, quando a pediatra e a enfermeira vieram ver-nos e falar comigo porque íamos ter alta, já o diário estava muito composto! Quando a pediatra estava a dizer-me que "seria boa ideia fazer um quadro para apontar as horas do leite das bebés", a enfermeira, que estava atrás dela, sorriu e disse "doutora, pode passar essa parte que esta menina é muito organizada e já tem o trabalho orientado!" enquanto pegava no lenço de papel para lhe mostrar... Por isso já sabem, é uma sugestão apoiada por opiniões profissionais!

  • Aceitar e pedir ajuda: isto é muito importante, quer durante a gravidez quer depois, no pós-parto. Por muito bem e felizes que se sintam, lembrem-se que a gravidez gemelar é uma gravidez de risco, pelo que devem ter todo o cuidado e muito repouso. Depois dos vossos bebés nascerem a ajuda continuará a ser preciosa pois será uma fase de adaptação e de muito cansaço, é uma grande mudança. Podemos achar que conseguimos fazer tudo sozinhas, chegar a todo o lado e que temos de ser assim, mas a verdade é que as "super-mulheres" também precisam de ajuda...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada por visitar o blog! Deixe um comentário, é importante para mim saber a sua opinião :) :)